Mu - A Lenda


     Mu, também conhecida (ou confundida) com a Lemúria, é um lendário continente perdido, que teria precedido Atlântida e onde teria surgido a espécie humana. Em verdade, todo o resto do planeta, em última instância, teria sido colonizado por Mu e sua principal colônia, a mais famosa Atlântida.

     Esta lenda ganhou força quando, em 1926, James Churchward publicou livros como o assim intitulado "The Lost Continent of Mu - Motherland of Man" (O Continente Perdido de Mu - Terra-mãe da Humanidade, em livre tradução). Em sua obra, de cunho altamente exotérico, Churchward relata que características comuns às grandes civilizações do passado (Egito, Mesopotâmia, Hindus, Ameríndios como os Maias e Astecas, dentre muitos outras) tinham muitos pontos de convergência, e que ele encontrara a razão em pequenas tábulas de terracota, guardadas em um monastério, no Himalaia. Tais grandes civilizações do passado não passariam de um último suspiro de algo muito maior, que era a grande civilização de Mu.
     Segundo ele, a Bíblia, entre outros livros e anotações históricas e religiosas referentes às origens da humanidade teriam sido cópias distorcidas pelo contar e recontar do conteúdo das tabuletas, que teriam sido escritas pelos próprios habitantes de Mu.
     A civilização de Mu teria sido tão avançada que nós demoraríamos muito para alcançar seu nível tecnológico, pois, enquanto nossa ciência não tem nem 600 anos, a de Mu, quando de sua destruição, já tinha mais de 400.000 anos de história.
     Ainda de acordo com Churchward, ele tivera em mãos informações detalhadas, entre as tabuletas hindus, escritos maias, textos gregos e egípcios, entre tantos outros, que lhe permitiam até mesmo descrever a localização exata, e traçar um detalhado mapa sobre o formato e extensão deste continente, que conteria das Ilhas de Páscoa ao Hawaii, abarcando as Ilhas Carolinas, Samoa, Fiji entre outras.
     Mu teria sido destruído por um grande cataclisma, envolvendo erupções vulcânicas e maremotos, e pouco ou nada teria restado desta impressionante cultura.

(mais informações sobre a Mu de Churchwardaqui, e no site criado por seu tataraneto: my-mu.com)

     No entanto, Churchward não explica como um povo tão avançado como o de Mu registrava seu conhecimento em pequenas tábuas de terracota, tão frágeis e primitivas, ou porque não há vestígio da existência deste continente, ou nem foram encontradas evidências físicas da avançada civilização que lá habitou, ainda que submersos. Diante disso, como bem permite a licença artística, e já que tratamos de uma lenda, tomei a liberdade de desenhar uma Mu um tanto diferente. A essência é a mesma, mas a abordagem da literatura fantástica me induziu a outra reconstituição deste fascinante continente e de sua incrível história.
      Leiam, e verão.

Pablo de Araújo Gomes, 26 de junho de 2011